segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Último espetáculo do Sonora Brasil traz para Uberlândia Dino Rocha e Grupo (MS)

Evento, promovido pelo SESC, tem entrada franca e faz parte do maior projeto de circulação musical do País

No sábado (19/11), acontece às 20h no Teatro Rondon Pacheco a 4ª e última apresentação do circuito "Sonora Brasil – Sotaques do Fole", neste ano, em Uberlândia. O evento contará com a presença do acordeonista sul-mato-grossense, Dino Rocha e Grupo, e tem entrada franca.

Conhecido como o "Rei do Chamamé", Dino Rocha desenvolveu sua carreira apresentando o repertório da tradição musical local sempre preocupado com a preservação de suas características mais autênticas. Acordeonista, compositor e cantor, começou a tocar sanfona aos nove anos e aos 16 se apresentava profissionalmente com seu primeiro grupo, Los 5 Nativos, da cidade sul-mato-grossense de Ponta-Porã.

Em sua carreira, apesar de ter tocado com músicos brasileiros consagrados na vertente popular, sempre privilegiou e permaneceu fiel às tradições da música regional, evitando em sua interpretação e em suas composições o uso de elementos musicais que pudessem modificar a essência e a pureza da tradição.

Acompanhado dos violonistas Hugo Cesar e Tico Rocha, chamamezeiros com larga experiência, Dino Rocha se apresenta com seu acordeão de 120 baixos. O repertório traz a tradição musical da região do Mato Grosso do Sul, que abrange desde a chegada dos paraguaios na passagem dos séculos XIX e XX até os dias de hoje, incluindo composições autorais.

Sonora Brasil
Tendo como objetivo difundir o trabalho de artistas que se dedicam à construção de uma obra de fundamentação artística não comercial, o Sonora Brasil consolida-se como o maior projeto de circulação musical do país.

Somente em 2011, estão sendo realizados 420 concertos, em 110 cidades, a maioria distante dos grandes centros urbanos. "A ação possibilita às populações o contato com a qualidade e a diversidade da música brasileira e visa à formação de plateia. Para os músicos, propicia uma experiência ímpar, colocando-os em condição privilegiada para a difusão de seus trabalhos e, consequentemente, estimulando suas carreiras", salienta a diretora do SESC Minas Uberlândia, Roseane Cence Lopes.

Pela primeira vez, em sua 14ª edição, o projeto Sonora Brasil apresenta dois temas – Sotaques do Fole e Sagrados Mistérios: vozes do Brasil – a serem desenvolvidos no biênio 2011/2012, com a participação de quatro grupos em cada tema.

Neste ano, o primeiro tema está circulando pelos estados das regiões Sul e Sudeste, enquanto o segundo segue pelos estados das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Em 2012, na 15ª edição, procede-se a inversão para que os grupos concluam o circuito nacional. Com essa nova metodologia, o projeto passa a ter um planejamento bienal, contando com a participação de oito grupos.

Uberlândia já recebeu três espetáculos relacionados à temática "Sotaques do Fole", neste ano: a gaita-ponto, com o músico Gilberto Monteiro (RS), a sanfona de oito baixos, com o músico Truvinca (PE), e dois dos maiores acordeonistas da atualidade, o Duo Ferragutti/Kramer (SP e RS). "Agora, é a vez da cidade conhecer o acordeão de 120 baixos de Dino Rocha", convida Roseane.

Espetáculo "Sotaques do Fole" com Dino Rocha e Grupo (MS)
Circuito Sonora Brasil
19/11 às 20h
Teatro Rondon Pacheco
Entrada Franca 


Repertório:

El Kangui (Tradição oral), chamamé
Amélia (Tradição oral), chamamé
Cambacuá (Tradição oral), chamamé
O passo da ema (Rezendinho), rasqueado
Siriema do Mato Grosso (Mário Zan / Nhô Pai), rasqueado
Curitibana (Tonico, Tinoco e Perigoso), marchinha
Baile das crianças (Dino Rocha), marchinha
Ama kiriri (Tradição oral), guarânia
Rancheirinha de Mané Nanias (Manoel Ananias), rancheira
Um Chamamé para Transito Coco Marola (Dino Rocha), chamamé
Gaivota Pantaneira (Dino Rocha), chamamé
Caraipiano (Dino Rocha), chamamé
Colorado (Tradição oral), polca paraguaia

Douglas Luzz | Ciclo

-- 
FarolCom | Coletivo de Imprensa
rede web de informação e cultura